quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Versões antigas da Bíblia

Depois de algum tempo sem postar nada estou de volta (ausência bem justificada, afinal, minha filha nasceu)
Há algumas semanas dei uma palestra sobre versões antigas da Bíblia; aproveito então o embalo para postar aqui algumas considerações sobre o assunto. Começaremos falando dos Targumim.
Targumin, plural de Targum, é o nome dado às versões aramaicas das Escrituras judaicas (o Antigo Testamento para nós cristãos). A partir da época do exílio na Babilônia (séc. IV a.C.), o aramaico começou a substituir o hebraico como língua falada pelos judeus. Tendo em vista tal situação, foi surgindo gradualmente a necessidade de se dispor das Escrituras judaicas em aramaico. Os primeiros Targumim eram versões orais e se tratavam mais de paráfrases do texto sagrado do que traduções propriamente ditas e eram utilizadas nas sinagogas. Com o passar do tempo, os Targumim, conservando o caráter de paráfrase, passaram a figurar também por escrito e a ser utilizados fora das sinagogas. A existência de Targumim na época de Jesus é bem atestada. Eu diria, inclusive, que, possivelmente, Jesus utilizava-se de Targumin quando citava as Escrituras, visto que, se o fizesse em hebraico, ninguém o entenderia, a não ser os sacerdotes, pois o hebraico já não era mais falado na sua época
Sabe-se hoje que existiram Targumim do Pentateuco, dos Profetas e dos Escritos. Há três versões principais dos Targumim, o Ônkelos (usado na Babilônia), o de Jônatas (Jerusalém) e o Yerûshalmî (Galiléia).

Um comentário:

Taty disse...

Olá,
Se possível me adicione no MSN, gostaria de te apresentar um projeto: tatikielber@hotmail.com.

Obrigada!