segunda-feira, 5 de abril de 2010

Cartas Festivas de Atanásio de Alexandria

Bom, como estamos na oitava de Páscoa, nada como um post temático.
Falaremos um pouco das cartas festivas de Atanásio de Alexandria. O famoso patriarca de Alexandria, símbolo da luta pela ortodoxia no século IV, continuou durante seu longo patriarcado um costume que já havia sido instituído por seus antecessores e que foi continuado por seus sucessores, a composição de cartas festivas. Todo, ano, salvo aqueles em que esteve exilado devido à controvérsia ariana, Atanásio escrevia uma carta na qual definia o calendário litúrgico do ano em questão; definia a data de início da Quaresma e informava a data da Semana Santa e Páscoa, bem como as das demais festas litúrgicas importantes da Igreja egípcia. Em geral, Atanásio aproveitava a carta festiva para fazer uma pregação ou catequese sobre um determinado tema.
A carta era composta em grego e traduzida para o copta, sendo assim consumida em ambas as línguas. A tradução copta servia principalmente para difundir a carta nos mosteiros coptas do médio e alto Egito. Inclusive, vale lembrar que as cartas festivas de Atanásio foram, em sua maioria, conservadas somente em copta.
A carta festiva de 367 é particularmente famosa, pois apresenta uma lista dos textos considerados canônicos por Atanásio. Não lembro de cor quais os textos do Antigo Testamento ele considerava canônicos. Em relação ao Novo Testamento, a lista de Atanásio coincide exatamente com o cânon do Novo Testamento católico. A carta festiva de 367 de Atanásio apresenta, portanto, uma das mais antigas e completas listas de textos canônicos conhecida. Mais antigo que isso? Só consigo pensar assim de cabeça no Fragmento de Muratori; de qualquer modo, a lista de Atanásio é mais ampla.

Saindo um pouco da temática do blog, espero que o Dunga convoque o Ronaldinho Gaúcho para a Copa.

7 comentários:

Strepsiades disse...

olha, eu não quer ele na seleção não, até pq acho que tem gente melhor pra colocar. mas dentro das "prévias", realmente, o ronaldinho seria essencial...

josué e kleberson... pqp...

Julio Cesar Chaves disse...

Semanas e posts a fio sem comentários, aí, é só eu falar algo de futebol que alguém comenta no memo dia, kkkkk.
Acho que vou mudar de blog. Hehe

João Carlos Nara Jr. disse...

Para você não ficar triste com os comentários:

A lista dogmática dos livros da Bíblia mais antiga é o Decretum Damasi, de 382 (DS 179-180). Mas já o Sínodo de Laodiceia (364) tinha feito uma lista semelhante.

São Cirilo também apresenta uma lista em Catechesis IV, 35-36, na que só falta o Ap (http://www.catholicscripture.net/enchiridion/).

PS: Ronaldinho já era!

Julio Cesar Chaves disse...

Oi, João
Valeu pelo comentário
De fato, o Decreto Damasi é a lista canônica dogmática mais antiga. Lembrando que foi o Papa Dâmaso que deu a São Jerônimo a tarefa de normatizar a versão latina da Bíblia; esse trabalho de São Jerônimo, que durou anos, resultou na famosa Vulgata. De qualquer modo, o Decreto de Dâmaso é posterior a carta de 367 de Atanásio.

Em relação ao sínodo de Laodicéia, alguns estudiosos sugerem que o cânone 59, o que apresenta a lista de livros canônicos, seja uma adição posterior, não tendo constado nos documentos originais, sendo assim igualmente posterior a carta de Atanásio. Se não me engano, de qualquer maneira, esse cânone não cita o Apocalipse

Essa lista de São Cirilo de Jerusalém eu não conhecia. Você saberia mais ou menos em que ano foi composta a catequese IV? De qualquer modo, mais uma sem o Apocalipse, hehe. De fato, o Apocalipse foi um livro difícil de ser aceito por muita gente.

João Carlos Nara Jr. disse...

Infelizmente, não sei de quando seria tal catequese. :-\
Mas é da mesma época… Ou seja, a coisa já estava então bem consolidada!

Julio Cesar Chaves disse...

Obrigado pela participação, João.

Abraço!

Pilipos disse...

Caro Júlio,

Existem também traduções das Cartas de Atanásio para o aramaico (siríaco). Podes conferir aqui:

http://www.archive.org/details/festalepistlesof38atha

Um abraço

Pilipos