quinta-feira, 5 de setembro de 2013

E a 'Primavera Árabe' faz mais uma vítima: o milenar mosteiro de Santa Catarina é fechado

O Mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai
O milenar mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai, edificado há cerca de 1500 anos, é a mais nova vítima da chamada 'Primavera Árabe'. O mosteiro foi fechado por questões de segurança.

Como eu havia escrito há algumas semanas aqui no blog, os cristãos coptas têm sido vítimas de perseguição no Egito desde a deposição do presidente Mursi. Como alertado no post em questão, além das perdas humanas, a perda do patrimônio cultural e histórico era uma das preocupações. Mais de 60 igrejas e edificações coptas foram queimadas apenas nas primeiras semanas de ira contra os coptas.

Pois bem, por questões de segurança, para evitar que o mosteiro fosse atacado, queimado e destruído, as autoridades egípcias ordenaram que ele fosse completamente fechado no início do mês de julho. O governo egípcio não fez nenhuma declaração oficial, mas acredita-se que a medida foi tomada devido à tentativa de sequestro de um monge em junho, o que levantou suspeitas de que o Mosteiro pudesse ser atacado. Não há oficialmente nenhuma ligação do ocorrido com os ataques aos coptas desde a deposição de Mursi, mas não se pode deixar de notar que, face á destruição de tantas Igrejas coptas, o Mosteiro de Santa Catarina seria um alvo e tanto.

Famoso, dentre outras coisas, por ter abrigado o célebre codex sinaiticus, o Mosteiro de Santa Catarina recebe milhares de turistas todos os anos e é responsável por fazer funcionar a economia local. Nas últimas semanas, os beduínos que trabalham ao redor do Mosteiro fazendo passeios com os turistas abandonaram ou venderam cerca de 800 camelos; com o fechamento do mosteiro, esses beduínos perderam sua fonte de renda, e, sem renda, não podem comprar comida para seus camelos. Venderam os camelos para comprar comidas para si e suas respectivas famílias.     

Essa não é a primeira vez que o Mosteiro de Santa Catarina fecha suas portas. Nos últimos 50 anos, ele já havia sido fechado 2 vezes: a primeira em 1977, quando o então presidente egípcio, Anwar Sadat, visitou Jerusalém, a segunda em 1982, quando Israel invadiu o Monte Sinai. 


Mais informações sobre a questão podem ser lidas no artigo cujo link posto aqui. Fiquei sabendo do acontecido por meio do amigo Alin Suciu, que, por sua vez, o soube por meio do blog de Jim West:
http://www.al-monitor.com/pulse/originals/2013/09/st-catherine-shutdown-monastery-sinai-unrest.html

Nenhum comentário: